Colcha de Retalhos

"O homem é um deus quando sonha e não passa de um mendigo quando pensa." Holderlin

Textos

REVERBERAR DEMÔNIOS
Acordei os demônios. Abri os olhos assustada e logo percebi suas presenças. Raiva. Um sentimento de desarmonia, de dor, como se tivesse alcançado o apogeu da agonia insone com um simples despertar matutino. Sem breus para encarcerar esquecimentos...
Abri os olhos! Eis uma metáfora perigosa: enxergar além do esquecimento, resgatar dores e reatar nós imperfeitos. Despertar e cair no meu alçapão com o grito encarcerado entre os dentes comprimidos. A raiva coagida que reverbera os próprios demônios.  
Acordei sem possibilidade de reconciliação. Devo purgar a culpa das minhas obscuridades condenada por uma representação inconsciente da qual não me recordo. "Habeas animas"? Quem sabe num próximo sonho?
Helena Sut
Enviado por Helena Sut em 08/10/2012
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Helena Sut). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras